O Personagem II

31 jul

Como quase tudo na área da criação artística, não há regras que lhe garantirão como criar um personagem perfeito, inesquecível, um personagem com o qual as pessoas (a audiência) se identifique. Há personagens que marcam a vida de uma pessoa, e até mesmo a transformam.

Veja o caso de Amélie Poulain, por exemplo. Um personagem cativante, com a qual muita gente se identifica. Por quê? É difícil definir exatamente. O olhar ingênuo e ao mesmo tempo malicioso na proporção certa, a fantasia, o altruísmo, a sensibilidade, um certo sentimento de inadequação e de solidão. Uma história que se passa em Montmartre, um dos bairros mais charmosos de Paris. Mas não tempos uma receita de sucesso. Poderia ser só um filme monótono e sombrio em Paris. Mas ficou muito bom. O que garantiu isso? Não existe modelo a ser copiado.

Mas segundo meu professor virtual do Cineuropa 🙂 existe um método que precisa ser seguido. É o que vamos ver nos próximos posts.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: