O Personagem III

4 ago

“Considerando que um roteirista trabalha com imagens, as características físicas/visuais do personagem precisam ser levadas em consideração (em “Chinatown”, por exemplo, Jack Nicholson tem um nariz quebrado, porque ele é um detetive e seu trabalho é meter o nariz na vida dos outros)” *.

Em Edward Mãos de Tesoura, por exemplo, o rosto de Edward é cheio de cicatrizes, mostrando que ao longo dos anos ele se atrapalhou bastante com as mãos. Ele também era muito pálido, porque, além de ter sido ‘fabricado’ por um homem, o inventor que o criou (o filme se inspira em Frankstein), nunca saía de casa, então nunca via o sol.

“Personagens são o coraçã e a alma de toda obra literária, de teatro, de cinema e de TV”.

O professor nos estimula a elaborar uma forma pessoal de criar personagens. Muitos escritores pesquisam a fundo antes de criar um personagem. Viajam, leem livros, visitam o projetado ambiente de trabalho em que ele atuará. Tentam, assim, sentir-se ‘dentro’ da vida do personagem, na sua própria pele.

“Seja qual for o seu método, conhecer os seus personagens é um passo fundamental. Já foi dito anteriormente: ‘ você precisa conhecer a sua história’. Agora diremos: ‘você precisa conhecer o seu personagem’.

* Estes posts tomam como base a aula 6 do curso online de roteiro do Cineuropa, escrita por Claudio Dedola. Ele, por sua vez, usa extratos de Lajos-Egri, um roteirista e dramaturgo húngaro-americano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: